04/04/2016

One in My Heart



     Então gente, sei que prometi voltar com a continuação do post sobre "Lakorns (Thai-dramas): Por que assistir??", sim eu vou escrever uma segunda parte, mas não será hoje, na verdade hoje vou cumprir uma promessa que fiz antes, este vai ser o meu primeiro post (e do blog) sobre um lakorn, enfim... rsrs
      Então mãos à obra (ou ao teclado, rs)!!

One in My Heart


Outros títulos: The One In My Heart (Nueng Nai Suang)
Sinopse: Poom, uma menina bonita sem pais,encontra Nueng em uma festa. Nueng é belo e filho de um ex-diplomata de renome que acaba de voltar de seus estudos no exterior. Todas as meninas querem conhecê-lo. Mas após a primeira vista, Nueng apaixona-se por Poom imediatamente. Ele se esqueceu de que já a conhecia antes. Por outro lado, Poom lembre-se profundamente que Nueng a intimidava quando eles eram jovens. Então ela realmente não gosta dele. Mas quando eles têm que dançar juntos na festa, Poom mantém distância. Isso irritou e envergou a Nueng. Então, ele continua provocando brigas com ela sem parar. (retirado do site MyDramaList)
Episódios: 12
Gênero: Romance, comédia, drama.
Ano:2015
País: Tailândia
Emissora:Thai TV3/ Channel 3

       Esse lakorn é um remake de outro lakorn de mesmo nome e história, só que de 2005, eu ainda não assisti a versão de 2005, só abertura, e posso dizer que muitas coisas são parecidas (para não dizer iguais), e sim a versão de 2005 está na minha lista para assistir porque é com o Ken no papel principal (quando eu escrever a parte 2 do sobre assistir lakorns, vocês vão entender porque estou falando isso, rsrs).
       Ele é ambientado mais ou menos em 1960, na Tailândia (óbvio, rs), e é aquele velho clichê da mocinha (Yaya Urassaya) e do mocinho (James Jirayu) "cão e gato". A história é basicamente sobre Poom (ou Hathairath, personagem da Yaya Urassaya) que foi criada pelos tios após a morte se seus pais, e de Neung (ou Anawat, personagem do James Jirayu), um jovem rico que acaba de voltar para Tailândia depois de anos de estudando no exterior. Mas não se deixem enganar, o lakorn não se resume apenas ao que está escrito na sinopse.
        Poom apesar de ter sido criada por seus tios, tem um ótimo relacionamento com sua prima e seu primo, e em nada ela é tratada diferente pelos seus tios em relação aos primos, pois foram, criados como se fossem irmãos. Porém, para algumas pessoas, por ela ser órfã, não é mais que uma simples criada na casa de seus tios. Poom é bonita, gentil e muito inteligente, mas ela nem sempre foi bonita assim, pois no passado era uma criança acima do peso e por isso era vítima de bullyng (sei que essa palavra não existia na década de 60, mas era exatamente isso que acontecia, rs), por parte do nosso protagonista. Apesar disso, ela cresceu uma criança feliz.

Poom ao lado de Paen, seus tios no centro, e no alto da foto, seu primo Pu.

     Contudo, quando Neung volta para a  Tailândia, o mundo pacifico da Poom sofre um grande abalo. Isso porque ela nunca esqueceu tudo o que ele fez com ela quando eles eram crianças. Por outro lado, quando Neung volta para a Tailândia, descobrimos que ele também se tornou um inteligente e belo rapaz, contudo um tanto quanto arrogante, principalmente quando se trata da nossa protagonista, e a ultima lembrança que ele tem dela é de quando eles eles eram crianças, ou seja, de uma criança feia, comilona  e gordinha (tadinha da prota, rs). Logo na sua chegada ao país eles se encontram em um baile, e por acaso do destino acabam como par para dançar, ele não a reconhece e ela acaba se recusando a dançar com ele (pois ela viu a foto de como ele era atualmente no jornal). Ele por sua vez não entende porque além de se recusar a dançar, ela também acaba fugindo dele, ele simplesmente não a reconhece.
     Claro que temos outros personagens, os já citados primos  e melhores amigos da Poom, Paen e Pu, Songsaeng (que é a outra sobrinha de seu tio, e antagonista da vez) e a sua mãe, temos também o Khun Chai e sua irmã, da qual a Poom será professora particular, ele é diplomata e muito mais rico que o Neung (ele possui o título de príncipe no sentido literal da palavra, pois até os dias atuais parece ainda existir realeza na Tailândia, pelo o que eu entendi), e infelizmente o Khun Chai é o nosso "forever alone" da vez, rs.
     Bom essa é uma visão geral do lakorn, muitas coisas acontecem, principalmente encontros e desencontros entre o casal protagonista. Deixo um aviso para aqueles que se interessarem em assistir: esse não é um tipico drama coreano, ou seja, nem sempre as histórias são muito "profundas", e basicamente a história gira em torno do casal principal e do que acontece entre eles. Claro que outras histórias são contadas também, até porque existem outros personagens na história, esse lakorn, por exemplo, tem três pares românticos (gostei muito disso, rs), mas vou deixar vocês descobrirem os outros dois sozinhos, rs.

Eles ficam tão lindos juntos...

      Quem não está acostumado talvez ache lakorns lentos e redundantes, mas esse foi um dos quais eu mais gostei de assistir. Outro ponto positivo é que a protagonista não é totalmente passiva, tem horas que ela responde a altura da provocação que fizeram à ela, é cada tapa sem mão, rsrs.
       Sobre a OST, ela se resume basicamente a duas músicas (músicas essas que eu não consigo parar de ouvir, rs), cantadas pelos atores que interpretam o casal principal, deixo vocês com com o MV (não  tem muitos spoilers no vídeo, então assistam tranquilos).




      Não vou deixar trailer dessa vez (assistam aos MVs acima, rsrs).
      Agora vamos aos pontos negativos...
     Eu não achei esse lakorn com legenda em português (tanto online como para download), eu assisti online legendado em espanhol pelo Doramas Mundo Asian & Marii Lakorn aqui, com duas opções: pelo Facebook ou pelo VK (porém para assistir pelo VK é necessário se cadastrar, confesso que fiz o meu só para assistir lakorn e mais nada, rsrs). Achei recentemente no Estrenos Doramas, também em espanhol, e seguramente vocês vão encontrar também com legenda em inglês. 
    E esse foi um dos motivos que me fez pensar várias vezes se escreveria posts com dicas de lakorns, já disse antes mas vale repetir que na  maioria das vezes eu assisto lakorn com legenda em espanhol, pois não encontro em português (e não sou fluente em inglês para isso, rsrs), e nem sempre a qualidade da imagem é aquela maravilha (contudo fica aqui meu agradecimento ao esforço das pessoas que se esforçam tanto para disponibilizá-los). Eu sei que poucas pessoas assistem a lakorns (se comparado a kdramas), assistir a quase duas horas por episodio com legenda em espanhol realmente parece pouco atrativo, mas eu digo: vale a pena, isso porque vocês vão ter contato com duas novas línguas, o espanhol e o tailandês, vocês vão poder conhecer uma nova cultura e também porque é bem diferente dos dramas com os quais vocês já estão acostumados (então saiam da zona de conforto e se arrisquem, rsrs), e por ultimo porque é legal, #prontofalei.
    Essa é a minha dica de hoje, mais uma vez: se arrisquem, se vocês não gostarem tudo bem, fazer o que né (rs), nem todo mundo tem os mesmos gostos. Deem uma primeira chance assim como eu dei um dia. Como eu também já disse, sou mais de preferir os lakorns de época (gosto mais, #prontofalei2), pois neles algumas questões deixam de ser tão "absurdas", pois se trata da década de 60, ou seja, a sociedade era bem mais conservadora (em alguns sentidos pelo menos). Para os que nunca assistiram a nenhum lakorn, sugiro de verdade começar por um de época, o "choque cultural", com toda certeza não será tão "brusco".
    Bom, por hoje é só isso, me digam o que acharam, se vão assistir, se não vão, ou até mesmo se já assistiram. cometem, para mim é super valido trocar ideias com vocês.
     Fui...

Me segurando para não assistir de novo...




2 comentários:

  1. Olá Laís!
    Fico imensamente feliz que vc esteja divulgando esse gênero também *-*
    Infelizmente ele não é muito conhecido e os poucos que ouvem falar parecem não quererem conhecer o que é um desperdício total! ú.ú
    Não vi esse lakorn, mas já estou entrando em contato com os meus contatos para descobrir se tem em algum fórum em português. Vc faz parte do grupo de lakorns no face também, né?! Se não me avise que te indico.
    Muito obrigada pela dica desse incrível lakorn <3
    Bjoss
    http://kelenvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Kelen, infelizmente tenho que concordar com vc. Os lakorns parecem não fazer muito sucesso entre o público brasileiro, infelizmente. Mas vou tentar divulgá-lo um pouco aqui pelo blog.
      Que bom que vc gostou da dica, e mesmo que vc não encontre em português, assista em espanhol mesmo, vele muto a pena, rs.
      Se for o grupo que a Lana criou já estou no grupo sim, e se não for me indica por faor, rs.
      Obrigada por ter passado aqui no blog.
      Abraços

      PS: Assisti a versão de 2005 com o Ken também (pela Viki em português), e amei, assistindo o James interpretando o Neung eu já conseguia ver que realmente era um papel perfeito para o Ken, rsrs. E se vc for assistir aos dois, sugiro começar pelo de 2015 e 2005... rs

      Excluir